16 maio, 2007

Motor de arranque

Um articulista Sul-Africano propõe-nos as seguintes contas para colocar o sucesso económico "Anglo-Americano" em perspectiva.

Considerando apenas os Estados Unidos, onde terão vivido e morrido 6 milhões de escravos, estima uma vida de trabalho de 40 anos, dos 10 aos 50. Depois, atribui-lhes umas benévolas 8 horas por dia de trabalho, e cinco dias por semana, só para não pensarmos muito mal dos seus donos. Isto dá 499 Biliões (americanos) de horas de trabalho.

Depois, imagina que esses escravos ganhavam afinal o salário mínimo de 7 dólares por hora. E que a ultima geração de escravos tinha podido aplicar os parcos rendimentos de todos a uns meros 2% ao ano. Se hoje esse dinheiro tivesse que ser devolvido, dava cerca de 59 triliões de dólares.

Nada mal, como fundo estrutural, não?
Ou, como ele conclui, mas de forma mais educada. "Protestant work ethic, my arse."

2 comentários:

Once In a While disse...

nada mal de facto .. e ainda consigo pensar em outros cenários bem mais .. onerosos ;)

Anónimo disse...

NBA ; o futebol americano ; 2/3 das medalhas olimpicas:Onde haveria matéria prima para isso tudo e muito mais...( jazz; R&B, etc, etc...)