14 outubro, 2008

Prova dos nove

Li, neste ensaio de Paul Krugman, o recém laureado Nobel da Economia, que Schumpeter se considerava o melhor economista, o melhor cavaleiro e o melhor amante da Áustria.

Concedendo que há rankings e honrarias académicas para o primeiro estatuto, concursos hípicos para o segundo, e assumindo que não há nenhum costume austríaco mais estranho que tenha escapado à minha cultura geral... a única forma que concebo de poder afirmar uma coisa dessas é ele falar por experiência própria, o que implica quiçá experimentar os outros todos.

6 comentários:

José, o Alfredo disse...

Experimentar os outros todos ou confiar em alguém que o faça. Não sei se havia uma Frau Schumpeter e muito menos se se lhe podia confiar esse tipo de tarefa. Mas os casos recentes mostram que há razões de sobra para desconfiar de quem atribui os ratings...

Once disse...

estas coisas são feitas por "amostragem" Professor ;)

Bom .. sério o que tenho a acrescentar é que Krugman tem um blog aqui: http://krugman.blogs.nytimes.com/
e pelo que espreitei, vale a pena.

L. Rodrigues disse...

Faz parte das minhas leituras regulares de há uns meses para cá, Miss Once. Obrigado :)

mike disse...

Isto de meter foice em seara alheia pega-se, safa! O homem é economista e brilhante, porque raio se haveria de meter noutras cavalarias?

José, o Alfredo disse...

O homem queria o seu triple A.

maria carvalhosa disse...

Excelente conclusão, Luis. É que, relativamente a uma afirmação dessa natureza, não vislumbro outra dedução...

Beijos saudosos.