25 setembro, 2007

Homem rico, homem pobre

Favela Paraisopolis, São Paulo.

Não sei quem tem pior vizinhança.

Editado para colocar o link de onde veio.

6 comentários:

Mike disse...

Este comentário vai ser longo, mesmo adivinhando não ser de bom tom fazê-lo por, exactamente, ser um comentário. Porquê? Porque tive saudades de S. Paulo, sendo um “homem rico” convivendo paredes meias com o homem pobre. A Favela Paraisópolis é no Morumbi, um bairro de classe média-alta e alta (quem diria?) onde vivi durante cerca de dois anos e meio. Curioso nunca ter sentido a má vizinhança, que neste post é irónica... É que S. Paulo, ao contrário do Rio, decidiu-se por uma estratégia diferente: a favela convive com a mansão. E com melhores resultados que na “cidade maravilhosa” já que a integração, se é que se pode falar em integração, se faz mais naturalmente. Dizia-me o porteiro do condomínio quando o assunto favela era tema de conversa, sempre pelo seu lado negativo: e o doutô acha que a galera da favela vai fazê mal ao sinhô sabendo que você dá emprego para a Maria, paga bem e trata bem dela? Não fiquei convencido, mas nunca senti a dita má vizinhança... do homem pobre, a bem dizer. E do homem rico também não. Prefiro pensar que tive sorte, mas passava por Paraisópolis todos os dias e todas as noites de regresso a casa (ao largo, claro). E habituei-me aos foguetes dia sim, dia não, no princípio pensando que aquele bairro era dado a festas e arraiais, mas não, era a chegada da droga à favela... Quem diria, l.rodrigues, que uma fotografia da maior favela de S. Paulo, com tudo de mau que nós europeus associamos, mas onde vive gente honesta e trabalhadora (porventura mais gente e mais honesta que do outro lado do muro) me faria sentir saudades? Olha, obrigado por este pedaço favelado (risos).

L. Rodrigues disse...

Eu sabia que esta foto iria despertar um comentário de quem conhece esta realidade de bem mais perto. Para o observador desavisado e distante, parece apenas um retrato gritante do brasil mas não só. Vou colocar o link de onde tirei isto.

Once In a While disse...

brilhante a escolha da foto .. brilhante o comentário mike .. são as pérolas do mundo virtual agora em acção :)
Obrigada pela leitura que me proporcionou.

Mike disse...

Estranho no link não aparecer a famosa Favela da Rocinha, consta que é a maior da América Latina e até, ironia das ironias (ou se calhar nem tanto), tem visitas guiadas. Diz-se que quem vive na Rocinha (entre o Leblon e a Barra da Tijuca) tem a melhor vista do mundo com a renda mais baixa do mundo. Acredito, mas também acredito que a maior parte dos moradores trocasse isso (a vista, claro) por mais paz... Thanks again l.

Anónimo disse...

BOM COMO DIZ A MUSICA , CADA UM NO SEU QUADRADO E SEFINI.....

Anny disse...

Incrivel a foto. Minha professora de sociologia estava comentando sobre esse condominio fechado, e a favela Paraisopolis, hoje na sala. E fico pensando, por mais inacreditável que seja, essa é a realidade do Brasil, pessoas de classes sociais diferentes, separadas por um simples muro. Infelizmente a maioria das pessoas preferem ignorar que todo esse preconceito exista. Realmente incrivel, sem palavras, mais gostei muito do comentario do Mike, ele soube expressar essa realidade muito bem!