30 julho, 2008

Doah a quem doer.

Sempre foi para mim um pouco obscuro o mundo da OMC. Parte da confusão deve vir das leituras muito oblíquas que faço dos segmentos de economia. Fico com a impressão de que há, por exemplo, uma reunião qualquer em Doha que já dura há anos e que tardava em chegar a uma conclusão. Antes disso teria havido uma reunião idêntica no Uruguai mas posso estar enganado.

Felizmente posso contar com pessoas como Dean Baker ou os Ladrões de Bicicletas para me ir guiando, quando a minha capacidade cognitiva entra em colapso.

Parece então que a ronda de Doha que teve lugar em Genebra (?) ficou largamente em águas de bacalhau. Presumivelmente porque diversos intervenientes preocupados com o desenvolvimento de países em vias do mesmo, não estarão confortáveis com as propostas de mais liberalização do comércio internacional.

Imaginem que iam a um médico por terem falta de peso, e ele receitava uma pílula. Tomavam a pílula durante meses sem qualquer melhoria significativa, antes pelo contrário. Mas depois mudavam de dieta e engordavam demais, e iam ao mesmo médico, e ele receitava a mesma pílula.

É mais ou menos isso que se passa ali.
Aqui há uns tempos, os defensores de Doha garantiam que com a liberalização do comércio, os produtos alimentares aumentariam de preço, melhorando as condições de vida dos agricultores do hemisfério Sul.
Agora que os alimentos subiram de preço por causa de outros factores, nomeadamente os combustíveis e a competição por terra arável para produzir biodiesel a partir do milho, os defensores de Doha garantiam que exactamente as mesmas medidas fariam baixar os preços.

Hmmm...

7 comentários:

Once disse...

"países ricos como os Estados Unidos e membros da União Européia permaneceram em desacordo com países emergentes como China e Índia sobre as propostas para proteger as indústrias das nações em desenvolvimento dos cortes nas tarifas industriais"

.. se não estamos todos em "pé de igualdade" será muito dificil encontrar um ponto de equilibrio que passe por quererem todos o mesmo .. utopia? claro ..

deixo-lhe o link in case of interest :)
http://www.videversus.com.br/index.asp?SECAO=58&SUBSECAO=0&EDITORIA=8473
e depeço-me .. até Setembro.
Boas Férias *

L. Rodrigues disse...

obrigado, Miss Once
Boas férias.

mike disse...

Hmmmm... esses senhores não são de confiar. E Doah a quem doer porque não lhes dóih a eles. Só por curiosidade: porque puseste um ? a seguir a Genebra?

Masborrega disse...

Onde é quéisso?! Nunca tinha ouvido tal coisa...

L. Rodrigues disse...

Mike, o ponto de interrogação foi por ter a convicção de que Doha não seria em Genebra e portanto estranhar que se chame "ronda de Doha" (Doha Rounds) a algo que tem lugar noutro sitio.
Entretanto já me esclareci. Tudo terá começado em 2001 em Doha com reuniões subsequentes até 2008, em Genebra.
Ao que parece o impulso em 2001 foi dado pelos ataques ao WTC. "Disaster capitalism" no seu melhor, não?

mike disse...

Considero-me esclarecido. Obrigado. Estiveste tentado a escrever "bloody capitalism" não foi? ;)

L. Rodrigues disse...

Não, mike
Estava apenas a subscrever a tese de Naomi Klein no livro "The Shock Doctrine":
As torres vão abaixo? Sob o pretexto de combater as causas profundas do terrorismo, vai de propor medidas comerciais que, diz a história, têm o resultado contrário do apregoado.