28 dezembro, 2006

Nasceu um Salvador

No apogeu da crise dos Mísseis de Cuba, um submarino russo no limite da zona de quarentena começou a ser atacado com cargas de sinalização de destroyers americanos.
O submarino estava equipado com torpedos nucleares e o capitão, colocando a hipótese de já estar em curso uma guerra, adoptou a filosofia de "vamos levar alguns connosco".
Por sorte estava presente um comandante de Sub-brigada chamado Vassily Arkhipov, que bloqueou as suas ordens e acalmou o capitão.


Se alguma vez se pôde atribuir o título de Salvador da Humanidade a um Homem só, foi a este.


Bom Ano Novo.

2 comentários:

Jaime disse...

Isso é mesmo verdade? Não sei, mas diria que o lançamento de armas nucleares precisa do acordo de mais do que uma pessoa.

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

L. Rodrigues disse...

Agora que já fiz a figura de tipo que sabe coisas que mais ninguém sabe, acrescentei um link.