13 março, 2007

Henry George, 2



Ambrose Bierce
(The Devil's Dictionary, 1911) "LAND, n. A part of the earth's surface, considered as property. The theory that land is property subject to private ownership and control is the foundation of modern society.... Carried to its logical conclusion, it means that some have the right to prevent others from living; for the right to own implies the right exclusively to occupy; and in fact laws of trespass are enacted wherever property in land is recognized. It follows that if the whole area of terra firma is owned by A, B and C, there will be no place for D, E, F and G to be born, or, born as trespassers, to exist."

Desde que penso nisso me faz confusão o conceito de propriedade da terra. Ou da Terra. Ainda bem que encontrei mais quem pensasse no assunto. Um pedaço de chão que está ali há milhões de anos, e estará milhoes de anos depois de desaparecermos, dificilmente se pode reclamar de "nossa". A posse privada e incondicional de Terra é, arrisco dizer, a mãe de todas as causas de conflito, desigualdade e pobreza.

4 comentários:

Once in a While disse...

"that some have the right to prevent others from living" .. tão actualizado o conceito.
e arrisca bem :) estou a gostar de acompanhar.
Abraço

L. Rodrigues disse...

Obrigado pela companhia :).

Mike disse...

Mas oh Luís, só te faz confusão porque és um homem das letras. Nunca te passou uma enxada pelas mãos, nunca tiveste que escolher sementes, olhar para elas, sentir o cheiro da terra depois de cultivada, ver os (ainda) arbustos a começar uma longa vida e, provavelmente, colher a fruta depois de longas jornadas de sementeira e cuidados. Apegamo-nos a ela (à terra), que passa a fazer parte das nossas vidas e não sabemos viver sem ela. Ou seja, passamos a olhar para ela como nossa propriedade.

L. Rodrigues disse...

Sabes muitas coisas erradas sobre mim, mike... já fiz uma boa parte dessas coisas, não te esqueças que sou da província.
Mas essa relação com a terra, que é a de quem a trabalha, muitas vezes pertence ao rendeiro, e não ao proprietário.
Ainda assim, a terra de que se fala é num sentido lato. Também é o do predio que o senhorio prefere deixar cair de podre à espera de vender o lote por melhor preço.