12 junho, 2008

E se uma casa

Fosse como um livro, uma história ou uma aventura?
Já agora, alguém se lembra de ler "A família Cherry"?

(Obrigado, José, o Alfredo).

8 comentários:

Ana disse...

Uma casa, para mim, tem de ser tudo isso, ou faz-me confusão não haver enigmas e segredos, aventuras de a tentar ordenar quando vira caos, e muito misterio para montar , desmontar e acumular. O problema da minha casa é mesmo esse. Não devo trazer cá ninguem sem grande e completa identificação e confiança.Também pelo preço a que as pagamos ou as transformamos numa aventura diária e num lugar meio arrojado, meio magico, ou é dinheiro entregue ao banco ou ao senhorio apenas para dormir. Essa é bem motivante. Gostei. Houve aqui quem gostasse também. Mas está habituado a casa mais oficina-museu de historia natural-laboratorio-biblioteca de Babel- confusão mesmo em dia sim dia não... Essa é mais rica e ordenada, deve é ter sido com taxas de juro e spreads bem baixinhos e estamos nós agora a pagar com outros custos a quinta e a sexta e a setima avenida, por esse país todo, todinhas em peso. É chato...
Vivó Santantoino!Enquanto fôr feriado e não se deixe apanhar tambem pelas 65 horas de trabalho/semana...

José, o Alfredo disse...

Não seria a Família Cherry? Dessa li muito. Era bestial.

L. Rodrigues disse...

Neste caso a internet não parece generosa, (ou os titulos originais não tinham nada que ver...) mas podes bem ter razão.

João Villalobos disse...

Li todos os livros da Família Cherry. Os efeitos não foram todos positivos. A tendência era criticar o meu pai por não ser como aquele :)

Ás Nino disse...

Ainda sobre a Família Cherry.

Por acaso num momento de nostalgia recordei alguns dos momentos que passava em convívio com alguns amigos (e amigas, claro)na espera no dia da vinda à nossa terra da carrinha da BIBLIOTECA ITENERANTE DA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN, que mensalmente nos visitava para entrega e recolha de livros. Tenho ideia que apesar do espaço diminuto para uma bilbioteca que funcionava numa carrinha "Citroen" (de cujo modelo não me lembro, mas que tinha a carroçaria em chapa ondulada e era de cor cinzenta) e onde para além de lugar de posto de tansporte dos dois funcionários (penso eu que seriam - nunca lhes perguntei, porque, na altura isso pouco me interessava) existia ainda um espaço central onde, de pé, os leitores visualizavam e consultavam os livros que, depois de escolhidos, podiam levar para suas casas e lerem durante cerca de um mês, altura de nova visita.
Ora, enquanto esperávamos pela carrinha, lá íamos trocando opiniões mais sérias sobre os livros que tínhamos levado e lido e fazíamos as nossas criticas (mais ou menos sábias. Nessa altura uns dos livros mais procurados (Pelo menos na nossa zona) eram, sem dúvida, os da colecção d'A FAMÍLIA CHERRY, que, no entanto e como deixei de frequentar a biblioteca itinerante, deixei de ver esses livros.
Nessa altura lembrei-m, então da famosa família e tive uma enorme curiosidade de saber se poderia encontrar pela internet qualquer livro desses. Porém, e até hoje o que encontrei são blogs, mas que, concretamente não fornecem nada mais do que opiniões, como esta que eu estou para aqui a dar.
Em todo o caso folgo muito que haja ainda boa gente que admira e se lembra d'A Familia Cherry. Aliás, era para rever e reler esses livros pois a ideia que tenho é a de que se tratava de leituras que para além do aspecto lúdico, eram muito interessantes e importantes sobre o ponto de vista pedagógico.
É curioso que já procurei em algumas bibliotecas mas, infelizmente, não encontrei nada sobre o assunto, o que, sinceramente estranho, tanto mais que também já procurei junto de alguns alfarrabistas e embora um ou outro se lembrasse dos livros, outros há que nem sequer ouviram falar de tal.
Às tantas sou eu que não sei procurar bem e devo, por isso, procurar melhor.
Tenho que resolver este assunto, nem que vá chamar A Família Cherry" para me ajudar a descobrir o mistério...
Ás Nino

L. Rodrigues disse...

Às Nino,
Obrigado por aparecer.
Se estiver desesperado, pode sempre tentar a Biblioteca Municipal de Torres Novas.
A colecção que li era de lá, minha terra natal, e confio que ainda a mantenham.

Nuno Cosme Moreira disse...

A biblioteca itenerante também faz parte das minhas memórias, era o melhor dia do mês, «O dia da biblioteca». Realmente A Família Cherry é uma colecção muito difícil de encontrar. Esta colecção de Will Scott também deveria ser reeditada. Os pais e avós comprariam estes livros para dar oportunidade às suas crianças de se deliciarem. Seria um sucesso garantido

joao gomes disse...

Ola,vivo na California e sim tambem procuro livros da familia Cherry,e interessante que estas coisas ainda vivem em nos,eu era pequena ,mas membro-me que essas historias eram muito originais e bem escritas.Se alguem tiver sorte de encontrar tais livros,por favor...